Adição de Categoria “A”, “B” ou “ACC”

EM CASO DE DÚVIDAS, ANTES DE SE DIRIGIR AO CFC ENTRE EM CONTATO VIA TELEFONE.

 

ADIÇÃO DE CATEGORIA – Prontuário no Rio Grande do Sul

A Adição de Categoria no documento de habilitação (CNH) pode ser solicitada nos seguintes casos:

a) Condutor(a) é habilitado(a) na categoria “A” e queira adicionar a categoria “B”.

b) Condutor(a) é habilitado(a) na categoria “B” e queira adicionar a categoria “A”.

c) Condutor(a) é habilitado(a) na categoria “B” e queira adicionar a categoria “ACC”.

d) Condutor(a) é habilitado(a) nas categorias “C”, “D” ou “E” e queira adicionar a categoria “ACC” ou “A”.

Atenção: No caso da última Carteira Nacional de Habilitação ter sido emitida em outro Estado da Federação (fora do Estado do Rio Grande do Sul) e atualmente o(a) condutor(a) esteja residindo no Estado do Rio Grande do Sul, deverá antes de requerer a transferência de prontuário da CNH para o Estado do Rio Grande do Sul. Neste caso, sugerimos verificar as informações contidas em nossa página inicial na aba “serviços” – “transferências de prontuário (CNH-PGU)” ou entrar em contato com o CFC para maiores esclarecimentos.

 

¬ Os documentos aceitos pelo DETRAN/RS e a forma como devem ser apresentados no CFC estão dispostos na Portaria DETRAN/RS n° 273-2019. Estão disponíveis também em nossa página inicial no campo “Documentos”. 

 

– Documentos Necessários para solicitação de Adição de Categoria nos casos de prontuário no Rio Grande do Sul:

  I- Carteira Nacional de Habilitação (último documento emitido);

  II- Comprovante de Residência no Estado do Rio Grande do Sul.

 

DOS VALORES:

– Adição comum de Categoria “ACC”: R$ 802,33

– Adição comum de Categoria “A”: R$ 1.205,09

– Adição comum de Categoria “B”: R$ 1.536,75

¬ ATENÇÃO sobre os valores informados:

  • Caso o(a) condutor(a) deseje exercer atividade remunerada ao veículo deverá realizar avaliação psicológica. Neste caso será acrescido o valor de R$ 73,59 nos valores informados acima.
  • Em casos muito específicos, o sistema informatizado poderá exigir a realização de alguma etapa complementar. Neste caso, os valores informados acima também poderão sofrer alteração.
  • Para exercer atividade remunerada com a categoria “A”, além de realizar a avaliação psicológica, o(a) condutor(a) deve possuir curso especializado específico para isso.
  • Caso o(a) condutor(a) seja habilitado nas categoria “C”, “D” ou “E”, deverá realizar o exame toxicológico de larga janela de detecção para o uso de substâncias proibidas. O exame toxicológico, bem como seu pagamento, deve ser feito pelo(a) condutor(a) diretamente ao laboratório de sua preferência, dentre aqueles credenciados ao DENATRAN.